15
fev

11

Bóra mexer esses corpinhos – Primeira sugestão de atividade física

Pessoal, tenho recebido várias mensagens de gente como a gente, que está tentando emagrecer, ficar feliz e saudável e parar de brigar com a balança e com os exames médicos.

1654466_3881660697922_1713617679_n

Tem muita gente me perguntando, além de dicas de dieta e alimentação, quais os exercícios que eu faço na academia e o que fazer caso a academia ainda seja um objeto mais desejado que o doce Camaro Amarelo.  Sim, pois muitas academias não estão preparadas pra receber um cadeirante. E muitos amigos das rodinhas também estão tímidos demais pra chegar lá, na cara e na coragem, perguntando se pode “puxar uns ferros”.

Já que um dos objetivos do Blog é esse, vamos partir de uma atividade bem simples. Dá pra fazer em casa. Tudo que você vai precisar é: um cabo de vassoura. Não precisa nem comprar, porque todo mundo tem em casa. Conseguir um só será complexo se for hora da faxina. =p

Vamos ao exercício. Um deles foi sugerido pela Tabata, que aprendeu com um educador físico. Outra variação foi sugerida pela nossa amiga Andrea Schutte, cadeirante e educadora física que busca alternativas para si própria ( e que eu vou copiar tudão pra nós, com autorização dela, claro. Afinal, ela também está no nosso projeto “Por Uma Vida Saudável Sobre Rodas”.). Outra opção eu mesma pensei, procurando imagens para ilustrar essa matéria. Na falta de fotos do Google, tive que pagar mico. Também to aqui pra isso. Tentei fazer aquela cara de paisagem das fotos de revista, mas não rolou. Agradecimentos à fotógrafa Mamis, que não gosta nem sabe tirar fotos, mas se esforçou bravamente.

A primeira opção é simples. Basta segurar o cabo de vassoura e girar os braços, como se você estivesse pedalando.

Colagens2

Na segunda opção, você segura o cabo da vassoura e gira o corpo pros lados. (Se você conseguir esticar os braços mais do que eu consigo, melhor!)

Colagens1

Na terceira opção, segura o cabo da vassoura. Levante e abaixe os braços. (PS – to tortinha na foto pq tenho lesão alta e meu lado esquerdo é mais fraco que o direito. Eu costumo “pender pro lado”. Estou trabalhando nisso.)

Blog1

Pra quem não tem apreensão das mãos suficiente para segurar o cabo, você pode tentar colar velcro nas pontas do cabo e na parte interna de uma luvinha (daquelas de academia).

Segundo Andrea, “São exercícios que trabalham bastante a força abdominal (todos os músculos abdominais) e isso ajuda bastante no equilíbrio de tronco. Além de trabalhar outros músculos.” Que músculos? De forma bem simples, ombros, braços e costas.

Não se preocupe com o número de repetições, ou por quanto tempo está fazendo o movimento de pedalar. Talvez seja cansativo nos primeiros dias, mas com o tempo, seu desempenho irá melhorar muito! Não esqueça de beber água (ainda mais nesse calor. Depois virão reclamar que suaram – que inveja de quem transpira –  e ficaram esturricados) e tentar alongar-se após a atividade (peça ajuda se for preciso). Bóra tentar?

25
jan

0

Por Uma Vida Saudável Sobre Rodas

Minha gente boa,  fiz um post no Facebook, lançando uma Campanha especial pro povo cadeirudo. Pois bem, venho, por meio deste, explicar-me!

É o seguinte. Há uns meses atrás, quando eu voltei do Sarah, eu tava meio porpeta. Eu vi uma foto minha, com a minha irmã, na véspera de ir pra lá, toda lindinha, magrinha, de vestido verde. Na volta do Sarah, eu vi uma foto minha, com uma professora de lá, no dia da despedida. Eu estava com o mesmo vestido e…Com cara de bolacha Trakinas e bração igual do Faustão antes do regime. Note na foto como, com a professora, estou até tentando disfarçar a barriga com o braço na frente.

Quem lê o blog deve lembrar que eu liguei pro André Facchin, meu nutricionista,e comecei meu plano de ação. Mudei a dieta, voltei pra academia e comecei a ter resultados. Até fiz um post sobre isso, em maio, aqui no Running News.

Aí eu conheci o Fernando, meu namorado. Eu estava em processo de emagrecimento. E como é difícil, pra quem ta na cadeira de rodas, emagrecer. Depois de uns meses, Fernando olha pra mim e diz: “Olha, daqui 2 meses será minha formatura. Você vai comigo, tá?!”. Que lindo! Eu disse “ta”  e por dentro eu entrei em desespero! Conhecer todos os amigos, família, entrar num vestido mara, cabelo, maquiagem…eu e minha banha sobrando. Comecei o que chamei de ProjetoFormatura. Meu nutri, minhas amigas, pessoal da academia, meu fisioterapeuta, me apoiaram e ajudaram nesse projeto. Emagreci mais um pouco. Levei minha barriga de tetra comigo porque ela não quer me deixar de jeito nenhum. Ela tava bem menor, mas barriga de tetra gruda mais que carrapato. Enfim, eu fui. Me diverti, dancei, dei risada, chorei de emoção.

Depois da formatura, fizemos a viagem, que relatei no post anterior. E  voltei, toda feliz, apaixonada, amando…e baleiúda de novo! (engordei menos, mas engordei…poxa vida) Recomecei a dieta, o André fez umas modificações.(Já emagreci tudo de novo e estou com o mesmo peso da formatura. Mas ainda tenho muito que melhorar. Minha barriga de tetra ta parecendo que engoli uma melancia. Como tenho lesão alta, não posso sonhar com barriga chapada, mas quero que minha melancia vire cereja)

Nisso, notei que minha amiga, Fabíola Pedroso, também iniciou uma dieta (ela está na terceira semana).  E tome post no facebook, dela falando do novo projeto. Adorei! Sempre conversava com ela sobre isso. Afinal, pra cadeirante é mais complicado emagrecer. Então, resolvemos unir forças. Cada uma na sua dieta, mas nos apoiando.

Há uns 2 dias atrás, vejo outra amiga de rodinhas, a Tabata Contri, postando no Facebook que resolveu entrar na dieta também. Ela chamou de Medida Certa Cadeirante. A dieta dela mesma. Postou uma foto de uns anos atrás, que é onde ela quer chegar, e uma de hoje em dia.

Então, eu comecei a refletir. É realmente mais complicado emagrecer na cadeira. Na verdade, tenho notado que muitos engordam, mesmo que depois de alguns anos, quando se veem na cadeira de rodas. Muitos negligenciam a atividade física, outros se entopem de besteiras e não ligam pra alimentação saudável. Não é só uma questão de corpo bonito, ou magreza. É uma questão de saúde. Nosso corpo muda por dentro, quando temos lesão medular. Outros adquirem outras patologias que os fazer mudar por dentro também. O funcionamento de alguns órgãos fica lento. Temos que nos cuidar. Também temos que prestar atenção ao Triglicérides, Colesterol. Tireóide, Pressão, como qualquer outra pessoa.

Por que não nos unir e um dar força pro outro, buscando uma vida mais saudável, mais ativa, com mais gente feliz, contente, menos problemas de saúde, mais atividade física? Foi então que conversei com meu nutri e resolvi lançar a Campanha. Porém, não poderíamos chamar de Medida Certa Cadeirante, porque somos pobres demais pra gastar com pagamento de direitos autorais pra empresa criadora do programa. Vamos chamar de “Por Uma Vida Mais Saudável Sobre Rodas” (fiz até hashtag #).

A ideia é a seguinte. Um animar o outro na busca de qualidade de vida. Trocarmos dicas, sensações, nos motivar. A ideia é sair do sofá e buscar alguma atividade física que te proporcione prazer. Como bem disse a Selma Rodeguero (tão viciada em musculação quanto eu) “ Cada um faz o que gosta e o que acha que é melhor, mas TODOS devemos fazer uma atividade física.”  A ideia é também parar de se entupir de fritura, de doces, de gordura e trocar por alimentos saudáveis que ajudarão você no futuro. Como disse a Fabíola: ”Odeio legumes e verduras. Claro que dieta inclui esses alimentos e estou comendo e gostando de muitas coisas.” É só tentar!

Preciso deixar claro que nenhum de nós é nutricionista, pra passarmos dietas uns pros outros. As dietas precisam ser personalizadas, pra realidade de cada um. Se alguém mandar cardápio de dieta pros demais, eu ficarei mais malvada que a tal da Amarilys. Se você precisa de uma dieta, eu indico meu nutricionista, a Tabata pode indicar o endocrinologista dela, você procura algum profissional pra te ajudar. Também não somos educadores físicos. Podemos dar dicas, mostrar alguma atividade que fazemos. Mas passar um programa de exercícios, os famosos “treinos”, só os profissionais da área podem passar. A ideia é a motivação mútua. Nada de um se comparar com o outro, mas você olhar suas fotos, daqui 6 meses e perceber “Caramba, como estou melhor, como minha saúde melhorou.”

Então, se você ficou animado a começar ou já começou, escreva pra mim. Uma amiga, a Fabíula (é outra, gente), disse que começou a dieta, mas ta de férias da atividade física. O Vinícius me mandou in box perguntando: “Só tem mulher na foto. Os meninos estão de fora?”. Claro que não! Estão super dentro! Eu coloquei as fotos delas comigo, porque foram as que estão no meu grupo de amigos e se manifestaram sobre a mudança na vida.

O que eu preciso é que todo mundo que aderir, escreva pra mim. Pode ser email (dannyybo@ibest.com.br – Se mandar piadinha, corrente ou sacanagem, vai arder no mármore do inferno) no facebook (http://goo.gl/VO64qx) ou escrever nos comentários aqui do Blog. Quero saber o que vocês já fazem, se fazem dieta, atividade física, se não fazem nada, se vão começar com a gente, se já começaram, quais as dificuldades do início da dieta, quais as dificuldades do início da atividade física, o que é mais gostoso, o que é pior de fazer, quais as sensações de mudar os hábitos, o que isso melhorou na sua vida, quem cozinha pra você na nova dieta? Esse tipo de coisa!

Se for postar nas redes sociais, você pode colocar a hashtag #PorUmaVidaMaisSaudávelSobreRodas

Bóra começar?

Texto originalmente publicado no Blog Mãos pelos Pés, no Running News