28
maio

0

A Dieta

Todo mundo sabe que antes do acidente eu era atleta das corridas e bikes e afins. Corria pra cima e pra baixo com o pessoal da assessoria, treinando pra minha primeira maratona. E ja tava ensaiando (re)braçadas (eu nadei a vida inteira) pra fazer meu primeiro triathlon em algumas semanas…
Isso tudo dava uma baita fome! E pra não perder o pique, nem ganhar um pânceps, eu seguia uma dieta a risca!

Aí, todo mundo sabe… Ah, tem gente que não sabe, então vou contar! Quando saí da UTI e fui pro quarto, eu despiroquei com a comida do hospital. Puro carboidrato, sem salada, fruta com gosto de isopor uma vez ao dia. O pesadelo de qualquer atleta e de qualquer intestino! Eu e uma amiga, a Kel, convencemos o médico a fazer um contrabando autorizado de comidas saudáveis pro frigobar do meu quarto.Quase que instantaneamente, a Ro e a Re Liza encheram o frigobar de frutas, verduras, iogurtes, grãos e tudo saudável. As amigas mais chegadas sempre levavam essas coisas pra mim e, graças a deus tenho boas amigas, que depois de dormir (ou não dormir) comigo no hospital, picavam as frutinhas pro meu café da manhã antes de irem trabalhar.
Fui pra casa maravilinda graças a elas! Em casa, algumas amigas, como a Paula, sempre cuidaram de mim, levando saladas e frutas toda semana. E minha mãe, fazia meu arroz integral, picava as frutas, fazia saladas delícia e cuidava muito bem de mim! Resultado? Fiquei magrinha, com a pele linda, o cabelo brilhante…

 
Aí, eu fui pro Sarah. O Sarah pode ter todas as qualidades do mundo, mudou minha vida pra muito melhor, aprendi muito, me diverti muito, fiz muitos amigos. Maaaaas… Sarah=hospital=comida de hospital=muito carboidrato. Café da manhã? Pão com manteiga + pão de queijo ou biscoito. Almoço? pouca salada! Fruta? uma vez por dia… Fui falar com a nutricionista. Ela não estava acostumada a lidar com atletas, mas com pessoas sedentárias que precisavam mudar a vida. Resolverei dar um desconto pra ela. Mesmo ela olhando pra mim e dizendo que eu precisava emagrecer 8kg! Enfim..fiquei em Brasília quase 3 meses e engordei 3kg! Eu via o pânceps crescendo e fui me desesperando. Mas quando comparei a foto “antes e depois”, com o mesmo vestido, não precisei ver nem a barriga! Só de olhar pro rosto e braços. Bem, a quem eu queria enganar? Eu já sabia disso! Precisava tomar uma atitude! E rápido!

 
Cheguei de Brasília e fui, praticamente direto, pra São Paulo. Lá, eu teria que tirar muitas fotos. O que fazer? Amigas cadeirudas, anotem o pulo do gato: coloque um dos braços sobre a barriga! A foto fica um charme e você disfarça a pochete! Como eu gosto de cruzar a perna na foto, fica melhor ainda!

 

Ok, medida provisória! O que fazer para a posteridade? Ligar para o nutricionista amado, claro! Mandei uma mensagem desesperada e ele respondeu instantaneamente: “Segunda estou aí.”  Beleza, menos uma coisa. Próxima medida do desespero? Abrir o ovo de páscoa (um dos) e dividir com a geral. Consciência mais leve!

 
Ele veio, tirou minhas medidas, conversou um tantão e disse que me entregaria o cardápio na próxima semana. A hora do pesadelo: eu estaria em São Paulo na próxima consulta! 4 dias comendo um pouco errado (Alex me salvou, me levando pra comer uma mega salada), de TPM, comendo vários brigadeiros que sobraram do niver da Bru (a sobrinha do Paulo, meu amigo piloto-cadeirante. Lembram dele, do outro post?)

 

Enfim, voltei de Sampa e mandei uma mensagem desesperada pro André Facchin, meu nutri. E fiquei esperando a dieta pipocar no meu e-mail. Foi quando resolvi escrever esse post  e fazer um diário da dieta. Ou seja, esse será o post mais longamente escrito! O e-mail chegou, eu não consegui abrir no celular (arquivo anexo) e demorei 24 horas de pura ansiedade pra ler. Assim sendo, começo meu diário agora! A dieta não está difícil, são 20h, mas eu resolvi começar assim mesmo. Portanto, esse será o

 

DIA 1 – a tarde comi um pedaço de chocolate. Sou mulher de TPM,  treinei muito, meu coach me assassinou no treino funcional, dentro e fora da piscina. E eu ainda não tinha lido o cardápio. Será que to perdoada?

Jantar: abobrinha recheada com carne (sem o arroz do almoço) e salada.

Decici postar fotos dos pratos no Instagram.

Nisso, um amigo atleta veio me zoar. Estamos falando sobre comida saudável. Isso ajuda muito!

Algumas horas após o jantar, eu devia comer uma barra de cereais. Burra! esqueci, minha pressão caiu e fui obrigada a comê-la no meio da noite (será que podia?) pra parar de passar mal.

 

DIA 2 – Caf’é da manhã ok. Lanche da manhã…i, esqueci! saí da piscina varada de fome!

Almoço e lanche da tarde ok.

O André passou aqui, pra trazer a lista de substituições para o cardápio. Conversamos um pouco. Foi Bom!

Jantar saudável e dentro da dieta, ok. Frango e salada. Confesso que eu parecia uma criança feliz quando vi a acelga já cortada, na geladeira. E parecia boba “olha, cenoura”, quando encontrei uma, dando mole na geladeira. Agora as pessoas em volta riem das minhas reações com relação às verduras.

Estou morrendo de vontade de comer chocolate, mas estou me controlando! Ainda mais por que o nutri veio aqui. Dar satisfações pra alguém, sobre a dieta, ajuda a controlar a gula!

Daqui a pouco tem a barrinha. Dá pra enganar a vontade de comer doce! vou comer a de limão com chocolate que comprei hoje! (sim, fiz compras saudáveis, de acordo com meu cardápio).

 

DIA 3 – Passei fome durante a noite. Mas não quero incomodar  o nutri no sábado (mesmo sabendo que vou levar bronca por isso). Mas a consulta já é segunda.

Café da manhã ok. Lanche da manhã não foi esquecido hoje!

Fui malhar na hora do almoço. Comi no shopping. Pedi purê no lugar do arroz, mas eu comi só metade, porque veio muito!

A TPM sai pelos poros. A vontade de chocolate está na estratosfera. Mas agora é hora do lanche da tarde. Comi um punhadinho de castanhas e frutas secas. Deu uma adoçada na boca, graças a Deus.

Janta, ok! Fiz certinho. Comi a barrinha de cereais de limão. Que delicia! Queria comer umas 10, mas não pode…

 

DIA 4- Pronto, almoço na casa da vó! Acordei e pensei:”Vou me controlar, vou me controlar, vou me controlar…”

Não deu! Comi dois pratos de macarrão  (sem queijo, que eu odeio queijo). Ainda bem que o prato é pequeno e eu coloco pouca comida. E comi frango e me entupi de salada. Comi um pouco de salpicão de frango. Deus, nutri, amigos, deem um desconto. Fazia 6 meses que eu não ia na casa da vó, não comia a comida da vó.

Tomei suco da fruta, que eu avô fez, porque ele sabe que eu amo.

Sobremesa? Salada de frutas sem açúcar e sem leite condensado, obviamente. E uma paçoca. Mas não deu..Sabe aquelas paçocas tipo lajotinha? Eu comia isso quando estava na 4ª série. Tem gosto de infância. E meu avô encontrou pra comprar pra mim.

Hoje foi dia do Deja  vú.

A tarde comi a fruta, bem comportada. Agora vou jantar.  A vó mandou salada e frango.

Jantei lindamente certinha…to morrendo de vontade de comer mais! E de comer chocolate! Socorro!

 

DIA 5 – Depois de comer um pouco errado na casa da vó, vamos fazer certo hoje!

Comi tudo direitinho, mas almocei tarde (problemas de transporte atrasaram meu horário) e senti fome.

O nutri alterou meu cardápio hoje. Seja o que Deus quiser, essa minha vida sem chocolate. Até durarem os estoques da minha paciência sem ele!

 

DIA 6 – Faz noites que não durmo (nada a ver com a dieta). O cansaço aumenta a vontade de comer chocolate (tudo a ver com a dieta). Bom, pelo menos em mim isso acontece! E com vocês, meninas?

Fiz tudo certinho.Frutas, saladas… Hoje comerei minha última barra de cereais com cobertura de chocolate. Depois sobraram apenas aquelas secas… Como não posso colocar palavrão aqui, direi apenas que estou perdida. Quadrupliquem isso!

(Confesso que quando abri o arquivo hoje, achei que já iria escrever o décimo dia).

 

DIA 7 – Corpo, corpinho querido…Hoje eu vou te pedir, por favor, por gentileza, por obséquio, acostume-se com a dieta LOGO!  E principalmente com a abstinência “doçal”(acho que inventei essa palavra).

Hoje estava tudo lindo. Mentira! Fiz treino de tiros na natação. Nadei 2000m. Saí de lá até de pressão baixa. Enquanto me trocava eu ataquei umas frutas secas que estavam na minha bolsa. Me salvaram, as pobrezinhas secas, até eu chegar ao shopping. Pedi a comida (frango grelhado, salada, legumes) e agredi o prato quando chegou. Mas comi com vontade mesmo. Aí fui malhar, feliz e contente. Até ganhei uma hora de fisioterapia. Cheguei em casa sem muita fome, pois comi o lanche da tarde. Jantei… E o bicho pegou. Fui guardar o que sobrou da salada e vi gelatina batida com creme…Respira fundo! Peguei uma colher de chá (não adianta mentir), colherei. Nem deu tempo de saborear. Enfiei na boca e engoli. Por que, meu Deus? Por que eu amo tanto doces? Agora estou me controlando pra não atacar o ovo de páscoa que eu ainda nem abri…

 

 

DIA 8 – Gente, fiz tudo certo! To orgulhosa de mim! Comi uma salada mega delícia  a noite (saí tarde da academia, aqui não tinha verdura e eu queria fazer tudo certinho..só o chocolate que ta daquele jeito. Sabe aquela música do Kid Abelha? “Mas você me persegue, por todos os lugares”. Esse é o choco na minha vida! Mas eu não comi!

 

DIA 9 – Chamo esse dia de “apagável”. Começou errado, porque não dormi à noite toda. Não tinha proteína pro café da manhã. Fui pro treino e esqueceram de me buscar (táxi! não foi a família!). Acabei almoçando um lanche natural na casa da minha mãe..Quatro horas da tarde! Jantei lanche natural também. Mas, minha mãe me ofereceu mousse de chocolate e eu fiquei firme! Não comi! Até quando vou aguentar eu não sei…

 

DIA 10 – Chamo o dia de dia perfeito, na forma social de ser. Hoje fui almoçar em uma fazenda, com meus amigos da corrida. Fiz um mega prato de salada. Coloquei um pouco de massa e frango (não aguentei comer tudo). A sobremesa foi maçã.Gastei tudo cantando, dançando e me divertindo horrores até 17 horas. A noite fui num bar de rock. Pula a parte que eu comi 3 mini-coxinhas (o namorado da minha amiga é uma praga e fez até brinde de coxinha, aquele magrelo engraçado!). Mas eu tomei suco de limão. Que linda!

 

DIA 11 – Eu disse que não nasci pra balada. Pois bem. Pensa numa mulher que acordou podre ao cubo. Essa mina sou eu.  Na verdade, podre ao cubo é apelido!  Eu acordei tarde. Belisquei. E fui pra um almo-janta, com um casal de amigos, num restaurante vegetariano. Achei que eu ia odiar. Mas descobri que é bem possível. Frango e carne de soja são bem bons e dá pra sair de lá empanzinada. Ainda fomos tomar sorvete. Eu tomei de limão. A minha amiga, a Carol, que também faz dieta com o André, tomou de melancia. Fizemos tudo certinho e eu descobri uma barrinha, la no fundo da sacola, que tinha cobertura de chocolate!

 

DIA 12 – Saí da piscina verde de fome, mas o André já deu jeito nisso. Esse cara é bom! Estou eu, me dirigindo para o restaurante, no shopping, quando encontro, o próprio! Ia dar uma entrevista pro Jornal A Cidade.  E o fotógrafo? O mesmo que me fotografou, pro mesmo jornal, quando eu saí! Fui pro restaurante e pedi. Quando chegou meu prato, também
chegou o dele. Pedimos igual, sem eu saber. Bom sinal! Sinal de que estou fazendo certinho! Tirei foto do prato e postei no instagram de novo. Comemos juntos e papeamos (jogamos conversa fora. A consulta é só a noite e a amizade é véia de 7 ou 8 anos já).

A noite ele veio aqui! Tirou minhas medidas e…tchantchantchantchan…Que alegria! Emagreci! Não sei quanto, pois não trabalhamos com peso! Mas as medidas todas diminuíram! Ele é bom mesmo! Ambos ficamos felizes e contentes!
Meninas, dá pra fazer dieta sim! Sem morrer! Prova disso é que estou aqui, vivinha da silva, escrevendo pra vocês!  Daqui um tempo escrevo outro post pra contar sobre a dieta de novo.

No Comments

Responder